Tablet com tendências em design gráfico para 2020

15 Tendências em Design Gráfico Para 2020

2020 já começou e os departamentos de Marketing estão à todo vapor na criação de suas ações para o ano. A estratégia aliada à criatividade é essencial, mas ficar de olho nas tendências em design gráfico faz toda a diferença.

Esses movimentos são baseados em técnicas que os designers gráficos já usaram nos últimos tempos, só que agora espera-se que elas estejam mais fortes no mercado criativo.

Neste artigo, vamos apresentar o que os especialistas consideram ser as melhores apostas para o ano! Boa leitura. 🙂

15 tendências em design gráfico para 2020

Muitos elementos prometem marcar presença em 2020, sobretudo aqueles que desobedecem ao parecer tradicional de composição. Há muita novidade, mas é preciso cautela para que o caos criativo não se transforme em desastre.

Confira!

1. Gradiente de cores

Em oposição ao flat color, e apesar de polêmico entre os designers, o gradiente de cores, ou degradê, é uma tendência constante, principalmente em logotipos. 

Neles, é muito comum ver os tons neons aplicados, além de combinarem muito bem com os filtros de imagens. O gradiente de cores não precisa ser o elemento principal de uma composição, eles combinam perfeitamente como coadjuvantes nas composições, de forma bem sutil.

Ilustração de mulher sobre fundo de cores em gradiente.

(Imagem de: Pinterest)

2. Minimalismo

O minimalismo está há algum tempo como tendência para logotipos. O movimento que se expressa por meio de pouca informação é uma linha criativa do século XX que está ganhando muita força.

Uma das grandes vantagens do uso de elementos simples é que eles são excelentes aliados de conceitos marcantes e de muito fácil reprodução em qualquer dispositivo – facilitando a manutenção da marca.

Minimalismo representado por logotipo

(Imagem de: Pinterest)

3. Geometria única

O uso de elementos geométricos fora do padrão e desenvolvidos para identidades visuais também se consolidou. Na contramão do clássico, a geometria inusitada torna logomarcas icônicas e únicas.

Geometria única representada por logotipo

(Imagem de: Pinterest)

4. Tipografias geométricas

No mesmo sentido da geometria única, as fontes geométricas ditam a identidade e muitas vezes substituem um símbolo gráfico. A forma aliada ao conteúdo cria um terceiro elemento novo, com grande impacto visual.

Tipografia geométrica representada por logotipo

(Imagem de: Pinterest)

5. Tipografias ousadas

A criação de fontes é o foco de muitos ilustradores e designers e, nos últimos tempos, as letras têm ganhado cada vez mais personalidade. É incrível ver como tipografias incomuns ganham beleza e força no contexto adequado.

Tipografia ousada representada por logotipo

(Imagem de: Pinterest)

6. Design sobreposto e compacto

Arranjos teoricamente desorganizados estão gradativamente se tornando famosos. A quebra da formatação clássica ressignifica fontes e cria elementos a partir de sobreposição e compactação.

 Tipografia compacta representada por logotipo

(Imagem de: Pinterest)

7. Composição caótica e assimétrica

Mais uma vez, a quebra dos conceitos clássicos de composição se fortalece. Os layouts assimétricos e baseados no caos são tendências em design gráfico que vieram para ficar – e dividir opiniões.

Composiç.ão caótica representada por logotipo

(Imagem de: Pinterest)

8. Textos desconstruídos

Assim como a forma, os textos também foram desconstruídos. As cores desbotadas, as letras soltas e as linhas misturadas, causam certo desconforto, num primeiro momento, nas pessoas de gosto tradicional. Por outro lado, o arranjo, quando bem construído, tem um apelo visual muito grande.

Tipografia geometria representada por logotipo

(Imagem de Pinterest)

9. Cores dessaturadas

Há pouco tempo, cores vivas e marcantes dominavam o cenário criativo. Mas uma forte tendência por uso de cores suaves e com baixíssima saturação, ou seja, o oposto das cores vibrantes, está conquistando o mercado. 

Um exemplo disso é a cor do ano 2020 apresentada pela Pantone, o Classic Blue 19-4052. Não se trata de um design menos colorido, mas uma aposta por composições menos abrasivas. 😉

Representação de paleta de cores dessaturadas

(Imagem de: Pinterest)

10. Dimensionamento, profundidade e movimento

Para criar uma ilusão de movimento, logotipos e letterings apostam em dar volumes diferentes para letras de uma palavra. Efeitos de profundidade também criam fluidez nas peças e tornam uma composição bem mais interessante.

Logotipo criado com tipografia geométrica

(Imagem de: Pinterest)

11. Bicromia

Basicamente, bicromia é o uso de duas cores para dar efeito de contraste. A aplicação de poucas cores também torna o objetivo de uma peça mais explícito, pois evita que a atenção do expectador fique dispersa.

No mesmo espectro, existem a tricomia, uso de 3 cores – em RGB: vermelho, verde e azul – e a policromia – em  CMYK cian, azul, amarelo e preto.

Bicromia representada em cartaz

(Imagem de: Pinterest)

12. Isometria

As ilustrações isométricas simulam objetos tridimensionais com elementos de perspectiva e profundidade em um cenário 2D. Usar a vista isométrica no design gráfico pode tornar ilustrações mais dinâmicas e atrativas.

Ilustração criada com técnicas isométricas

(Imagem de: Pinterest)

13. 3D

O 3D nunca sai de moda simplesmente porque ele atende à diversas necessidades do mercado gráfico. Além disso, com os refinamentos de placas de vídeo, monitores e outros recursos, a tendência é que ele permaneça nos portfólios criativos.

A Publicidade é um dos ramos que mais faz uso do 3D, uma vez que ele torna cenários mais reais, interativos e atrativos.

 Ilustração criada com técnicas 3D

(Imagem de: Pinterest)

14. Distopia

Oposto à utopia, condições de um futuro perfeito e inatingível, o layout distópico é um movimento baseado em obras sci-fi que representam um futuro de caos em meio a tecnologia.

Os elementos mais usados são as cores extremamente saturadas e fortes, tons neon e fundos escuros, signos altamente indicativos do movimento cyberpunk e que apelam para o surrealismo!

Cartaz com ilustração de cyberpunk

(Imagem de: Pinterest)

15. Motion graphics

O motion graphics conquistou diversos segmentos. Os vídeos animados fazem parte de apresentações corporativas, redes sociais, sites e uma infinidade de meios simplesmente porque eles tornam tudo mais agradável.

Assuntos densos apresentados em motion graphics, com legendas, um bom roteiro e trilha sonora adequada, tornam-se muito mais fluidos e entendíveis.

Animação criada em motion graphics

(Imagem de: Pinterest)

Todas essas tendências em design gráfico estão nas pautas dos criativos mas os estrategistas também têm muito com o que se preocupar. 

Marcas unificadas: o segredo de uma boa comunicação gráfica

A gestão de uma boa marca vai muito além de peças bem feitas, é preciso haver estratégia em todas as suas frentes de exposição. Essa regra é antiga, mas muitos negócios começaram a se preocupar em criar uma identidade visual unificada somente agora.

A Netflix é exemplo disso. Em 2019, o streaming consolidou todas às frentes de comunicação com a mesma tipografia, cores e elementos. 

Isso é um grande desafio, sobretudo quando se trata de marcas globais, com incontáveis frentes de atuação. Mas é um desafio que vale a luta!

Conclusão

As tendências em design gráfico para 2020 representam mais do que a estética. A diversidade é abraçada pelas representações visuais, dando lugar ao novo, ao diferente. Isso alinhado à identidade visual unificada cria um caminho seguro para a atuação das marcas.

Mas para conquistar esse objetivo é preciso garantir uma gestão eficaz da marca. Veja neste artigo como unificar marketing criativo e gestão eficaz!

Posts recentes

Receba mais notícias sobre a fastdezine

Open chat
Olá! Vamos bater um papo sobre como o outsourcing pode ser a solução para os seus problemas de Marketing?
Powered by